Celulares em números

Vamos ver se as contas fecham.
Segundo dados da Anatel de junho, o Brasil tem 133,2 milhões de linhas de celulares ativas. Desse total, pouco mais de 80% são de linhas pré-pagas.

O que sobra então para as operadoras trabalharem, já que os mais de 100 milhões de usuários praticamente não usam o celular para fazer ligações? É o famoso celular pai-de-santo, só recebe. Eparrei.

Pelos cálculos, restam quase 20%, ou 26,6 milhões de telefones pós-pagos. Mais: desse total, apenas 3% acessam a web, recalculando, são 798 mil usuários que utilizam seus telefones para acessar a web, enviar e-mail, subir fotos, entre outras funções.

Romina Aducci, diretora de telecomunicações do IDC para a América Latina, revelou dados interessantes durante o eveno da Nokia. A eles: em 2007, o instituto de pesquisas levantou que a América Latina tem 353 milhões de linhas de telefonia celular. Desse total, 61 milhões são telefones para uso corporativo.

Outras estatísticas que interessam à indústria de telefonia móvel: em 2007, havia 1 milhão de e-mails corporativos.

A Nokia divulga que de acordo com o Gartner e o IDC, em 2007 havia 750 milhões de caixas de correio corporativo em todo o mundo. Desse total, 30 milhões correspondem a contas corporativas móveis. As previsões apontam que em 2011 haverá 80 milhões de contas corporativas móveis.

Aí sim dá para entender por que a indústria aposta em celulares voltados para negócios. O lançamento de dois aparelhos, o E66 e o E71, é uma aposta na continuidade desse modelo. A briga é feia, pois nessa seara estão a RIM, dona do BlackBerry, que domina esse mercado, HTC, a Nokia, a Motorola, a Samsung, a Sony Ericsson e a LG. E há uma última copanhia que decidiu subir no ringue: a Apple, com o iPhone 3G.

Resta saber se os CIOs, os chefes de departamento de tecnologia, responsáveis pela decisão de compras de celulares corporativos, vão querer abrir mão do consolidado BlackBerry, que já tem versão slim, magrinha e com design mais atraente.

About these ads

1 comentário

Arquivado em Análises, Notícias

Uma resposta para “Celulares em números

  1. Estuvomuy bueno levento y verdaderamente asustan esas cifras que nos dieron en Aregentina, el mundo celular està entrando fuerte y reñido almundo pc

    Un saludo y que gusto conocerte

    James Guapacho