Eae? Para onde vamos com tantos celulares?

Seu celular velho vale ouro

Foto: Richard Barnes
Seu celular velho vale ouro

Já foi dito e re-dito. Não custa repetir. Em um planeta habitado por 6,5 bilhões de pessoas com 3,2 bilhões de celulares, e os números de vendas bombando.
As estatísticas estão aí: no dia 25 de janeiro, saiu a notícia de que mais de 1,1 bilhão de aparelhos foram vendidos ao longo de 2007, registrando um crescimento de 10% em relação ao ano anterior. O estudo foi realizado pelo instituto de pesquisas Strategy Analytics, que prevê a mesma porcentagem de alta em regiões como África e Oriente Médio.
A finlandesa Nokia continua liderando o mercado com participação de 39%, em suma, 437 milhões de aparelhos vendidos.
A indústria comemora a troca constante de aparelhos a cada seis meses pelo consumidor com poder de compra.
O que fazer com a avalanche de equipamentos antigos, velozmente substituídos por reluzentes objetos de mídia, comunicação e desejo, em que se transformaram esses dispositivos móveis?


Enquanto isso….
Partes dos celulares que serão recicladas
Fotos: Richard Barnes

Teclados e restos de celulares que serão reciclados

Nos EUA, 60% dos aparelhos vendidos substituíram os anteriores em 2006. A CTIA divulgou nota em que de cada cinco cidadãos norte-americanos, quatro têm um celular.
A pergunta que não quer calar…
O que a população que compra novos modelos faz com os antigos? Em 2006, os americanos simplesmente jogaram no lixo 3 milhões de aparelhos eletrônicos. É o conhecido e-waste, traduzindo, desperdício eletrônico, um problema para o bem-estar no hemisfério norte. No sul. No planeta.
Ok, então atenção para o artigo The afterlife of cellphones, publicado, em meados de janeiro na revista do The New York Times, cujas fotos tomo a liberdade de pegar emprestado do fotógrafo Richard Barnes. Há empresas como a belga Umicore, focada em tratamento de materiais, que extrai metais de televisores, computadores e celulares.
O autor do artigo, Jon Mooallem, imaginou, in loco, a TV preto-e-branco de sua mãe, jogada no porão, e o seu primeiro celular azul ardendo no local.
Segundo informações oficiais da empresa, os celulares são valiosíssimos no mercado e-waste, chegando a valer US$ 1por conta dos metais preciosos. Aliás, o executivo da empresa mostrou ao autor um quilograma de ouro “verde”.

Comentários desativados em Eae? Para onde vamos com tantos celulares?

Arquivado em Análises

Os comentários estão desativados.