As estatísticas do mundo móvel

Americanos enviam e recebem mensagens de celulares nas situações mais perigosas. É o que constata  pesquisa divulgada no dia 21 de outubro, revelando que 77% dos entrevistados já usaram seus celulares para digitar textos enquanto dirigiam. E 41% disseram que já mandaram emails de celulares do tipo BlackBerry enquanto andavam de bicicleta ou a cavalo. Surreal, não?

Mais: 11% revelaram ter usado seus celulares para passar mensagens de email durante um encontro romântico, enquanto 79% afirmaram ter enviado mensagens do banheiro.

O levantamento tem o dedo da Neverfail, uma empresa de software para proteção de informações. E para quem se sente entediado em casamentos, saiba que 18% usaram seus celulares para escrever emails durante essas cerimônias, e 16%, durante um enterro. Em formaturas de faculdade, 37%.

Segundo a pesquisa, a proporção de usuários com dispositivos de mensagens de email vai crescer 40% até 2010. Em tempos de crise econômica, por conta da pressão, os donos de celulares devem postar mais. Quem afirma é Michael Osterman, presidente da Osterman Research of Black Diamond, que conduziu o estudo para a Neverfail. “Os trabalhadores terão de se dedicar mais”, disse. Ele acrescenta que com o aumento de demissões, os que ficam têm de dar conta, pois a responsabilidade da empresa é a mesma. Sei. Tá legal. Conheço esse papo furado de muito longe.

A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 26 de agosto com 147 pessoas que responderam online. Ah, é bom recapitular que um maquinista ignorou um sinal vermelho, causando um acidente com 25 mortes. Robert Sanchez teria enviado mensagens de texto. Isso foi no início do mês.

Enquanto isso – O American College of Emergency Medicine alertou para que as pessoas não enviem textos enquanto caminham, pedalam ou andam de skate. Segundo o órgão, registrou-se um aumento de ferimentos e mortes relacionados a usuários que enviam textos inadequadamente.

Um outro levantamento da AAA (American Automobile Association) constata que metade dos adolescentes nos EUA enviaram mensagens enquanto dirigiam.

Distração por uso indevido de traquitanas?

Distração por uso indevido de traquitanas?

Indecente – Um senador estadual de Nova York propôs lei para impedir que pedestres atravessem ruas com seus iPods e similares, com multas de US$ 100! Pode? O nome do sujeito é Carl Kruger, e na proposta dele incluem-se outras traquitanas, leia-se BlackBerries e celulares, mas o senador citou a marca iPod. Fazer o quê! Isso foi em fevereiro do ano passado e o logo acima saiu pela  Methodshop.

O legislador se dá ao luxo de mencionar, sem base estatística alguma, que o uso de gadgets está adquirindo proporções endêmicas. O senador relatou o caso de um rapaz de 23 anos que foi atropelado porque ignorou o sinal, enquanto escutava música. “Uma evidência da praga de nossas ruas.” Esse tipo de distração já ganhou o apelido de “iPod Oblivion”. Gente de cabeça oca existe aos montes. E, nesse mundo de ode ao consumo, culpar os MP3-players por isso chega a ser patético. E duvideodó que o lobby da indústria de celulares e traquitanas deixaria.
O inventor do Walkman, Akio Morita, há mais de 30 anos, não imaginaria isso.

Campanha de gosto duvidoso da policia australiana

Campanha de gosto duvidoso da polícia australiana

Quer mais? – Em janeiro deste ano, a polícia australiana (New South Wales) encomendou à agência de publicidade DDB uma campanha para sensibilizar a sociedade pelo uso de traquitanas no ouvido. Ok, mas cadê as estatísticas de atropelamento por distração? E quem disse que todos que andam com seus celulares no ouvido ou tocadores de música são distraídos. E os caras não brincam em serviço. No site, há os preços das penalidades para pedestres que saírem da linha. Literalmente.

13 Comentários

Arquivado em Comportamento, Notícias

13 Respostas para “As estatísticas do mundo móvel

  1. Oi Norma, muito criativo esse blog.
    Entre em contato comigo.
    Preciso de parceiros como voce.

    Ruy

  2. Querida,
    Me arrisco a entrar na corrente contraria porque sou a favor dessa proibiçao toda!!! ( Cruzes, ja estou ouvindo os protestos!!! Ou o silêncio reprovador!). Essa historia de estar constantemente ligado, in, sera que interessa mesmo a quem? Nao ao trabalhador, com certeza. O que o capitalismo expropria ao trabalhador é, basicamente, seu tempo. Por que nao se pode esperar ao menos entrar num café para falar ao telefone ou mandar uma
    E quanto aos ” écouteurs”, de qualquer marca, meu otorrino é super contra. Ele me proibe o uso e me diz que o proiba a meus filhos, que hoje têm 16 e 14 anos. E é um médico do setor publico, heim! Afirma ele que os males ao ouvido sao enormes. So que ainda nao ha estatisticas a respeito. E nao vamos esperar as estatisticas para defendermos nosso ouvido de lesoes que serao irreversiveis.

  3. Para quem não sabe, Claudinho, Claudio, Versiani ou Pits (ainda não descobri a origem deste apelido, mas vamos lá) é co-autor da sensacional e imperdível revista eletrônica de fotografia PicturaPixel, que merece visita diária.
    Ele posta como nunca. Não importa onde esteja. O sujeito é um azougue, minha gente.
    Ok, estradas perfeitas. Maravilha. Agora escovar detes e ler livro, ao dirigir, ultrapassa o nível do bom senso. Mas o que é bom senso mesmo? Alguém me disse que no planeta existem mais de 6 bilhões bons sensos. Cada um tem o seu.
    Enquanto isso, um maquinista bateu o trem. E ouvi história recente de uma amiga de um ciberamigo que capotou o carro ao mandar um SMS. Haja bom e mau senso!

  4. Amiga,

    muito boa a nota. Os americanos tem estradas quase perfeitas e um limite de velocidade de 55 milhas na média, un 90 km/h. Eu já vi gente dirigindo e lendo livro ao mesmo tempo em uma auto-estrada por lá. Um amigo meu viu um cara escovando dente enquanto dirigia.

    Em NY o celular é um problema gde. Vou voltar aqui com calma e te contar umas histórias.

    Por enquanto é só para te dar os parabéns pela nota.

    Bjo.

  5. 😀 esses americanos são loucos! lol

  6. Betto

    Oi Marijô!!

    Gostei bastante do Nomadismo e até já recomendei para os amigos… Essa história de lei que proíba as pessoas de atravessarem as ruas ouvindo iPods (ou o que o valha) é tão patética, surreal e maulca quanto algumas que encontrei no Guia dos Curiosos (http://guiadoscuriosas.ig.com.br), do ótimo Marcelo Duarte: Em Helena, Montana, uma mulher é proibida de dançar em cima da mesa de um saloon se a sua roupa pesar menos de dois quilos.

    Em Maryland, os preservativos podem ser vendidos em máquinas somente “em lugares onde são vendidas bebidas alcoólicas para consumo no local”.

    Na Inglaterra, a lei autoriza vendedoras a ficarem de topless em Liverpool mas somente em lojas de peixes tropicais.

    Vai lá saber se pega por lá…

    Vou te falar que eu estou em uma fase meio infoansiosa, sim. Mas, como toda mania baseada em novidades, depois passa…

    Beijosssss

  7. Betto

    Oi Marijô!!

    Gostei bastante do Nomadismo e até já recomnedi para os amigos… Essa história de lei que proíba as pessoas de atravessarem as ruas ouvindo iPods (ou o que o valha) é tão patética, surreal e maulca quanto algumas que encontrei no Guia dos Curiosos (http://guiadoscuriosas.ig.com.br), do ótimo Marcelo Duarte: Em Helena, Montana, uma mulher é proibida de dançar em cima da mesa de um saloon se a sua roupa pesar menos de dois quilos.

    Em Maryland, os preservativos podem ser vendidos em máquinas somente “em lugares onde são vendidas bebidas alcoólicas para consumo no local”.

    Na Inglaterra, a lei autoriza vendedoras a ficarem de topless em Liverpool mas somente em lojas de peixes tropicais.

    Vai lá saber se pega por lá…

    Vou te falar que eu estou em uma fase meio infoansiosa, sim. Mas, como toda mania baseada em novidades, depois passa…

    Beijosssss

  8. Suzana, minha querida! Você curtindo a luz incidental de Belô e eu aqui com um céu cinza-pálido, que insiste em se mostrara assim.
    Você quer mesmo saber a agência que fez a campanha? Foi encomendado a DDB. O link de onde foram tiradas as fotos vai logo aí: http://www.frederiksamuel.com/blog/2008/01/nsw-police-department.html. Eu achei isso em janeiro e só agora fiz um link com essa pesquisa. Coisas da cachola como diz o amigo Versiani, do http://www.picturapixels.com/blog.
    E vou te dizer uma coisa, menina. Não invente de mandar mais SMS dirigindo. É temerário. Hoje mesmo escutei uma história de uma amiga dum blogueiro do Yahoo! Posts, que me contou que ela capotou o carro enquanto mandava um SMS.
    Essa infoansiedade mata mesmo!
    Beijocas em profusão e continuo aguardando você passar pelas plagas paulistanas para tomarmos um café ao vivo.

  9. Enviar e-mail andando a cavalo foi a melhor, rsrs Totalmente surreal e contrastante.
    Que todos nós já enviamos sms ao dirigir, isso é um fato e não deixa de ser um risco. Agora querer proibir pedestre de usar iPod ou celula? Francamente!
    OBS: Que anúncio autraliano é esse??

  10. Catherine Aguilar Resek

    Distração é o menor dos defeitos humanos, mas o resultado pode ser o maior (pior) de todos!

    A culpa sempre será não dos instrumentos que sejam usados (IPod, Iphone, SmartPhone, Blackberry…) mas do usuario.

  11. Lucita

    Por irresponsável que pareça, faço minhas as palavras de Pedro Marques. Quem anda de carro é que tem de prestar atenção: está montado num troço pesadão, perigoso, que mata mais que bala de revólver. Distração é o menor dos defeitos humanos.

  12. Pedro Marques

    Americano tem essa mania de controlar a vida dos outros, né? Manda esse cara regular banco e parar de encher o saco.

  13. muito boa… preciso de um iphone antes da próxima formatura… rsrs