Quando o Twitter vira complemento do blog

Twitter, a bola da vez

Twitter, a bola da vez

O Twitter está matando os blogs? Que tal pensar essa ferramenta de frases de no máximo 140 caracteres como um complemento aos blogs. Aliás, não é novidade alguma. Há mais de dois anos, blogueiros e agências de publicidade já conseguiram criar códigos para inserir o Twitter e o Flickr em blogs.

Na São Paulo Fashion Week de janeiro passado, a agência Click já tinha inovado com o Twitter e o Flickr para fazer uma cobertura do evento ao longo da semana com o Fiat Fashion Innovation Atitude. Ideia simples: contratar especialistas no mundo da moda, de preferência blogueiros ou blogueiras. De quebra, dois publicitários da agência mandavam seus comentários via Twitter pelos seus celulares. As fotos subiam com rapidez, os blogueiros cobriam os desfiles e os publicitários faziam seus comentários em 140 caracteres.

Resultado da ação? Um sucesso, e dez a zero em relação à cobertura oficial do evento e de outros blogs e sites de notícias sobre o São Paulo Fashion Week. Nada contra os profissionais que cobriram esse acontecimento que movimenta a economia, a mídia, turismo etc.,  afinal todos sabem fazer o seu trabalho, mas o blog que aliava Twitter e Flickr, um dos patrocinadores do evento, que, por sinal, era a Fiat com um modelo de carro, ganhou em agilidade.

Em menos de um mês, em 2008, fui convidada para cobrir a primeira edição da Campus Party para um portal de notícias. Assim que sugeri que se fizesse esse “mashup”, jargão utilizado na blogosfera, torceram o nariz. Em uma estrutura de um portal de notícias e conteúdo, criar um blog que reunisse mais duas ferramentas parecia algo estratosférico. Não era. Qualquer um poderia fazer.

Eu que manjo pouco e não tenho paciência para html, já tratei de incluir o Twitter e o Flickr neste modesto blog na mesma época. O Campus Party aconteceu, a mídia tradicional não deu bola no primeiro dia, e o evento explodiu ao longo da semana, com emissoras de TV correndo atrás do prejuízo, e blogueiros escrevendo diuturnamente .

Hoje, esse trio ou quarteto ou quinteto de ferramentas em um blog virou lugar comum. Os WordPress e Blogspot da vida aceitam e oferecem dezenas ou cententas ou milhares de acessórios, também conhecidos por widgets, para incluir em um blog, com direito a música (Blip.FM e outros) e vídeo (leia-se YouTube) em tempo real.

E por que recontar essa história? Ora porque o Twitter, tardiamente ou não, é a bola da vez em “11 entre 10” publicações de papel, online e outras mídias. Aliás, este post foi inspirado em um link que li da jornalista e doutoranda  Luciana Moherdaui no Facebook, outra ferramenta, que também serve de complemento para blogs.

Luciana Moherdaui linkou o post Twitter is the new headline: how blogging and Twitter are complementary. Além disso, ela foi cobrir, usando o Twitter, a palestra “Estamos preparados para o público 2.0?“, organizada pelo grupo de Pesquisa Net Art: Perspectivas Criativas e Críticas (CNPq/PUC-SP) e a Agência Click, no Tuca, em Perdizes, e descobriu que havia um limite de tuitagens por dia, 119. Não é à toa que os jornais online/papel têm várias contas de suas respectivas editorias para poder dar conta da tuitagem de suas manchetes.

Noves fora, o planeta rendeu-se ao Twitter. Em janeiro deste ano, a revista eletrônica de fotografia PicturaPixel, editada por Claudio Versiani, em Barcelona, e Gilberto Tadday, em Nova York, ganhou cara nova, uma equipe oficial de colaboradores e uma conta no Twitter para divulgar suas seções, notas, matérias, vídeos, artigos, resenhas e tudo mais.

Some-se a isso os sites que encurtam endereço, pois no Twitter é preciso ser econômico. O mais famoso até pouco tempo atrás era o TinyURL. Um mais curtinho ainda é o Is.Gd. Nossos brazucas já correram atrás da ideia, que parece simples. O Migre.me arrebanhou internautas brasileiros dos quatro cantos do país. Em pouco tempo já há outro o Vai.la, que conheci no dia 14 de abril. O Migre.me conquista o twitteiro por um motivo simples. Dá pra ver quantas vezes a sua historinha no Twitter foi clicada, reclicada e retwittada. Não é a invenção da roda, mas está lá para você ver, buscar seus bookmarks, ter uma ideia do que acontece com os cliques e, se quiser, compararar os twitteiros/blogueiros que fazem de tudo isso um marketing sem fim, aumentando seus seguidores de forma artificial para conseguir mais público.

7 Comentários

Arquivado em Análises, Comportamento, Mercado

7 Respostas para “Quando o Twitter vira complemento do blog

  1. [08:28:03] detetivebrasil: Se você precisar conhecer um pouco mais sobre o Celular sony, acesse este blog onde você conheçerá os modelos disponíveis, modelos antigos, defeitos mais comuns, tipos de toques, toques para baixar e muito mais sobre os celulares da marca sony. Também faz link com outros blogs na Nokia, motorola, Samsung e lg http://www.celularsony.com

    <<<

  2. Opa,

    Tirando o hype em torno do twitter o que um rss (de palavras chaves, fotos ou vídeos) não teria a complementar um blogue que o twitter tem? Isso mesmo, nada!

    Com um efeito colateral: Twitter gera mais ruído do que informação relevante.

    Ah tá, mas é um hype! Obrigado! Eu prefiro só a informação relevantes filtrada pela inteligência coletiva, que “sempre” chega aos blogues!

    Ejaculação precoce de textos! Tô fora🙂 E sim, viva a diferença🙂

  3. É isso aí, Marijô: precisamos de diversidade na política, na vida cultural e no cyber espaço. Com um grande abraço, Bárbara

  4. Essa complementaridade (que palavrão, hein?) é fundamental, e muito enriquecedora. Acho que o meu blog, por exemplo, ganhou muito quando passei a atualizá-lo em tempo real via Flickr. Beijão, gata!

  5. António Andrade

    Eu diria até que o twitter, dentro de pouquíssimo tempo, poderá vir a se tornar muito mais que um simples complemento do blog! Veja só que a mais recente modinha das redes sociais até já está servindo para os artistas oferecerem música aos seus fãs! É o que está fazendo o The Streets, que esta semana está liberando três canções. Ele diz que já não está nem aí para o negócio de vender música. De uma pequena aplicação, o twitter está se tornando uma enorme revolução. Vale a pena olhar esse caso:
    http://cotonete.clix.pt/quiosque/noticias/body.aspx?id=42517

  6. belo post, mary jo! as vezes vamos participando das coisas e esquecemos de registrar o que vem ocorrendo. A CP 2008, com o agregador de twitter, youtube, flickr e etc foi realmente um marco que me faz hoje achar isso bastante óbvio. mas pra quem está ainda tateando o terreno, é bom uma visão geral da coisa, contando um pouco da história. bacana!

    bjs do estraviz

    • Pô, obrigada Estraviz. Mesmo. Você foi ágil no gatilho. Ainda me lembro que apanhei um tantinho pra conseguir pôr YouTube no WordPress. Isso foi há mais de um ano. Hoje basta clicar em Media e puff, já está lá “embedado”. Bjs e mil gracias pela leitura.