Porque o rock é preciso. 31 de agosto de 1996 | O Toque

31 de agosto de 1996. Um sábado nada digital. Acordei cedo, céu límpido e azul.  Meu corpo analógico, repleto de átomos, precisava estar em jejum. Abri o armário, tirei do cabide uma calça e uma blusa e me vesti. Em seguida, olhei para minha malinha. Tinha de parir. E com hora marcada. Enquanto Luiz Fernando fazia a barba, para me acalmar, fui até a sala e botei um LP na vitrola. Ok, o CD já existia e fazia parte de nossas vidas no PC e na sala de estar, mas esse disco ainda não tinha sido masterizado. Não que eu me lembre.

No janelão envidraçado,  a luz incidental recaía sobre meus vasos de violetas. Um deles mostrava duas flores. Da segunda, saía a terceira. Simbolicamente, O Toque, de Rita Lee, marcou o nascimento de Manuela na minha memória afetiva.

Dedico essa música a Manuela Zilveti dos Santos e a tuitosfera, que gosta de tuitar [verbo do Twitter] músicas às segundas-feiras com a hashtag #musicmonday. Ah, meu Twitter é @zilveti.

3 Comentários

Arquivado em Notícias

3 Respostas para “Porque o rock é preciso. 31 de agosto de 1996 | O Toque

  1. Lu:z:m

    adoro esta música e, principalmente, o disco…
    boa trilha pra se começar uma vida🙂
    bjk

  2. Kerly

    Linda,

    Parabéns pelo aniversário da Manuela!
    Essa música é linda. Emocionante…

    Grande beijo

  3. Dri lemos

    Inacreditável a sensibilidade das mães, de nós; e dos nossos toques. Viva a Manuela!
    Parabéns pela filha linda, altiva e inteligente. Que a cada ano ela possa proporcionar a você essas viagens ao tempo, tempo bom, tempo de coisas boas e novas.