Números da Anatel: 168 milhões de celulares no Brasil

© Motulz

Estatísticas para quem precisa.

O órgão soltou na sexta-feira, dia 20, via assessoria de imprensa a seguinte cifra: o Brasil conta com 168 milhões de linhas de telefonia móvel. É um número assombroso, mas há de se tomar cuidado. Motivo. Menos de 18% corresponde a linhas pós-pagas. Precisamente:  17,73% ou 29.795.754.

Os conhecidos pais-de-santo, que recebem ligações, oficialmente os pré-pagos, equivalem a 82,27% ou 138.241.276.

Dá para entender por que as operadoras querem a todo custo disputar essa legião de quase 30 milhões de clientes? São eles que pagam uma taxa fixa mensalmente por pelo menos um ano. Não é uma cifra pra jogar fora.

A agência revela que o crescimento em outubro foi de 1,15%, e a densidade corresponde a 87,6 linhas por 100 habitantes. Em suma, a teledensidade.

Do site da Agência Nacional de Telecomunicações, eis a reprodução da tabela dos estados que registraram maior crescimento.

UF (Teledensidade) Crescimento em outubro (%) UF (Teledensidade) Crescimento de janeiro a outubro (%)
Maranhão (42,52) 1,89 Tocantins (73,73) 23,17
Piauí (55,03) 1,57 Amapá (78,81) 23,05
São Paulo (104,37) 1,53 Rondônia (84,51) 20,56
Paraíba (67,67) 1,41 Maranhão (42,52) 20,30
Minas Gerais (86,97) 1,39 Roraima (69,8) 18,12

1 comentário

Arquivado em Mercado, Mundo nômade, Notícias

Uma resposta para “Números da Anatel: 168 milhões de celulares no Brasil

  1. O termo “teledensidade” para definir razão de linhas telefônicas/100 habitantes é errôneo.