as estatísticas no planeta celular

Para os que acreditam em números, vamos lá: não foi Steve Jobs que começou a semana passada anunciando ao mundo que espera vender 10 milhões de iPhone 3G até o final do ano? O presidente da Apple também afirmou que em 365 dias despejou 6 milhões de iPhone nas mãos do consumidor desde junho passado.

E as cifras de celulares vendidos em todo o planeta, como ficam? O que o Gartner diz é o seguinte: as vendas mundiais de telefones móveis, ou telemóveis, como são simpaticamente conhecidos em Portugal, registraram aumento de 13,6% no primeiro trimestre de 2008, em relação ao mesmo período de 2007.

Traduzindo: foram vendidos no mundo todo 294,3 milhões de unidades nos primeiros três meses. Apesar do aumento, o Leste europeu teve uma queda de 16,4% no trimestre, comparando com os primeiros três meses de 2007.

O que dizem os especialistas do instituto: as vendas em mercados emergentes continuam crescendo, enquanto mercados mais maduros sentem a pressão de um ambiente econômico incerto.

E os fabricantes? – A Nokia, a finlandesa líder mundial, registrou 115,2 milhões de aparelhos vendidos nesse período, apesar de ter sofrido queda de 39,1%. Segundo análises do instituto, a empresa conseguiu manter-se na liderança por conta de um grande portfólio, com altos índices de venda em mercados emergentes. Esses especialistas são implacáveis com a companhia: para que a Nokia fique à frente, será necessário integrar novas tecnologias nos aparelhos e melhorar dos quesitos esign e uso.

A Samsung, por sua vez, alcançou a marca de 42,4 milhões de celulares vendidos, garantindo o segundo posto no ranking. Mais: ela aumentou a distância da terceira colocada, a Motorola. Resultado: obteve um ganho de market share de 14,4%. Motivo, segundo os analistas do Gartner: a empresa está reagindo rapidamente aos celulares com tela sensível ao toque, os “touch-screen”.

A Motorola continua com o mesmo problema de 2007. As vendas caíram para 29,9 milhões de unidades. Será que a explicação é assim tão simplista: o fabricante norte-americano não conseguiu enocntrar o sucessor para o popular RaZr, mesmo lançando modelos e mais modelos em seu portfólio?

Murmura-se pelos bastidores que dificilmente a Motorola consegue se alinhar com a concorrência neste ano. Noves fora,  seu posto de terceiro lugar está sendo seriamente ameaçado pela coreana LG, a quarta colocada na contínua corrida dos fabricantes.

A LG, por sinal, teve um início glamuroso no trimestre, alcançando a marca de 23,6 milhões de unidades despejadas nas prateleiras das lojas em todo o mundo. E papou 8% a mais da fatia do bolo.

A coreana é guerreira nessa arena. Ultrapassou a Sony Ericsson e capitalizou a atenção do mercado com o anúncio de modelos com telas sensíveis ao toque desde o anúncio do iPhone em junho de 2007.

Os analistas do Gartner vaticinam: mesmo com o apelo popular de modelos, entre eles o LG Prada e a linha Shine, a empresa precisa lançar um portfólio de smartphones mais poderoso, uma vez que o consumidor e operadoras de telefonia móvel já começaram a enfatizar seus desejos nesse segmento.

Outra que teve um início de ano complicado foi a Sony Ericsson. Suas vendas chegaram a 22,1 milhões, marca insuficiente para continuar no quarto lugar no ranking mundial. Segundo divulgou o Gartner, a empresa atribui esse resultado a dificuldades no mercado do Leste europeu. Para o segundo semestre, ela vem de forma agressiva abrindo seu potfólio com uma safra de aparelhos para consumidores de segmento médio. Dessa forma, a Sony Ericsson estará em boa posição para recuperar seu quarto posto no mercado.

Fonte: Gartner Inc

5 Comentários

Arquivado em Análises, Mercado, Notícias

5 Respostas para “as estatísticas no planeta celular

  1. Cá pra nós, a Apple consegue vender 10 milhões de aparelhos com um só modelo. E é um modelo de temporada, porque applemaníaco que se preze, já está se coçando pra tocar na “novidade mais nova” de Jobs.
    A Nokia vende mais por que é boa ou é boa por que vende mais? Os modelos são feios, mas já foram muito mais. O N95 é um acinte ao bom gosto. O N96, o N81 e cia. já tem uma proposta mais aceitável. Quero um E71, mas esse vai levar um bom tempo pra chegar por aqui. Infelizmente.
    Nunca entendi porque a Sony consegue vender tanto com tantos cabos e conexões proprietários, mas vende, é minha marca atual. Gosto dela, mas vou dar um tempo de SE.
    Motorola? Onde? Pelo menos lançaram um aparelho essa semana, com as mesmas frescurinhas visuais de sempre, mas sem 3G. Cadê o 3G da Motorola? Essa eu acho que não se levanta mais.
    Ah, blog bom mesmo.

  2. Cá entre nós, fazer uma estréia com a notável venda de 10 milhões de aparelhos, não é pra qualquer um. Porém, isso não é nada perto do que as outras grandes fabricantes (a Apple não é, nunca vai ser) vendem. Tá aí, exposto no teu post. Vale lembrar que não é qualquer um que tem grana pra comprar um iPhone, agora, qualquer um tem grana pra comprar um Nokia, com câmera, MP3 e etc. vendido em 10 vezes sem juros. Isso sim vende, não é à toa que a Nokia detém de 60% do mercado.

    Quanto ao teu comentário, sim eu já fiz e sei que se não usar o recipiente certo, fode com tudo. Valeu pelo comentário, vou colocar um aviso a mais no post.
    Parabéns pelo blog.

  3. Mesmo que os números não sejam sensacionais, uma Apple – que até então nunca foi vendedora de celular – comercializar 10 milhões de iPhones conseguiu um fato tão extraordinário quando o seu produto. E certas pessoas da concorrência ainda dizem que o produto da Apple não concorre e não os afeta. Isso é história pra boi dormir. Atire o primeiro iPhone quem tiver um em mãos e não o quiser.

  4. Manu

    Pode ser antiquado da minha parte mas nunca achei q o Iphone fosse tão revolucionário assim. Touchscreen até meu Palm de 2003 tem, MP3, foto, etc qualquer 100 reais compram, … enfim, design por design tudo bem, a Apple manda bem, mas até aí é questão de moda (e funcionalidade) e não de tecnologia….

    Enfim, meu motorola Rocker tem uma bateria que não dura 1 dia e é isso que me importa.

  5. Mari-jô, falando em Motorola, tava lembrando aqui da observação do Leo Xavier, da .mobi, sobre a Motorola no GSMA 2008. Parece que eles estão abrindo mão da sua linha de celulares, daí a queda nas vendas. Confere aqui no Mobilizando Blog.
    Sobre seu comentário no Bricolagem, concordo com vc. LIMITE é tudo nessa vida. Depois as “creonças” aprendem naturalmente a estabelecer os próprios limites sem pai/mãe ter que ficar falando. Esse pelo menos esse será o meu ideal rs.

    Beijos
    * E babando na luz incidental paulistana (morro de rir!).
    **Mas me deleitando com as manhãs de outono Belo Horizontinas!